O QUE ELAS QUEREM

A estrada do Zen

Para ajudar, é um daqueles dias em que parece que saíram à rua todos os condutores de domingo: aqueles que mudam de faixa sem pôr o pisca, os que abrandam para espreitar os acidentes ou aqueles seguem tão devagarinho que atrasam toda a gente. Conduzir parece, muitas vezes, um eterno teste à nossa paciência. Com as dicas que lhe damos abaixo é mais fácil manter o seu nível zen no trânsito.

1 – Siga os imortais conselhos de Jim Morrison
Aquele que foi um dos ícones da sensualidade dizia na música “Roadhouse Blues”: “Keep your eyes on the road, your hands upon the wheel” (mantenha os olhos na estrada, as mãos no volante). É apenas isto. Não custa nada: conecte o smartphone ao carro, para poder atender chamadas com um simples toque no volante ou no ecrã tátil. Tente fazer com que os miudos estejam entretidos lá atrás, com jogos de charada ou com músicas que todos sabem cantar. É importante não ceder às distrações, mesmo quando tem de retocar a maquilhagem – ao volante não!

2 – Vai conduzir? Então durma
Um estudo realizado nos Estados Unidos demonstrou que 20 por cento dos acidentes são provocados por condutores que adormecem ao volante. Os números são claros: bocejar e sentir-se cansada após um longo período a conduzir é motivo para encostar e descansar um pouco. Mesmo que o ambiente em que estamos a conduzir seja uma autoestrada, o que normalmente não nos preocupa mesmo quando cada bocadinho do nosso corpo já só peça uma cama para descansar, as consequências de adormecer ao volante podem ser fatais. A solução é dormir 8 horas por dia, não apenas antes de uma grande viagem mas todos os dias – a presença do sono pode deixar-nos sonolentos e incapazes de nos concentrarmos.

3 – Cinto de segurança sempre
Depois das campanhas de sensibilização que marcaram o final dos anos 80 e início dos anos 90, já não haverá quem conteste a necessidade de usar sempre o cinto de segurança. Contudo, mesmo assim, ainda há registos de vítimas mortais em acidentes, por não terem o cinto de segurança colocado. De facto, mesmo num acidente a velocidades reduzidas, não ter o cinto de segurança posto pode causar graves lesões e até ossos partidos. Por isso, mais uma vez lembramos: o cinto de segurança é para usar sempre.

4 – Se conduzir, não beba
Esta também é uma regra muito conhecida, mas vale a pena lembrar – até porque o consumo de álcool continua a ser a maior causa de acidentes. Mesmo com níveis baixos de álcool no sangue, a intoxicação reduz o tempo de reação e a coordenação e reduz as inibições, o que pode levar a más escolhas. Em níveis mais altos, o álcool provoca visão turva ou dupla e até perda de consciência. Conduzir depois de beber não é apenas uma má ideia – é crime.

Aquele que foi um dos ícones da sensualidade dizia na música “Roadhouse Blues”: “Keep your eyes on the road, your hands upon the wheel” (mantenha os olhos na estrada, as mãos no volante). É apenas isto. Não custa nada: conecte o smartphone ao carro, para poder atender chamadas com um simples toque no volante ou no ecrã tátil.

5 – Mau tempo? Cuidado extra
Com chuva, nevoeiro, neve ou piso gelado, seja extra cuidadosa. Conduza abaixo do limite de velocidade, se necessário, mantenha a distância de segurança e tenha especial cuidado com as curvas.

6 – Devagar se vai ao longe
Em cidade, acelerar apenas poupa alguns minutos de viagem – e pode aumentar o risco de acidente em 50 por cento. Mesmo em viagens longas, o tempo que poupamos não compensa o risco que corremos por acelerar inconsequentemente. Se precisa de chegar ao seu destino o mais rapidamente possível, tem bom remédio: saia de casa mais cedo.

7 – Respeite as distâncias de segurança
Esta é uma das regras mais desrespeitadas nas nossas estradas: quando estamos com pressa de chegar, inconscientemente pensamos que se apressarmos o carro da frente chegamos mais depressa. Este tipo de comportamente não podia ser mais perigoso. Na eminência de uma travagem repentina, é a distância de segurança que nos permite evitar um acidente. Por isso respeite as marcas da estrada e deixe espaço suficiente entre o seu carro e o da frente.

8 – Cuidado com a vizinhança
Além de manter um bom comportamento em estrada, respeitando os sinais de trânsito e os limites de velocidade, devemos também estar atentos aos nossos “vizinhos do lado”, ou seja, os outros condutores. Não podemos saber se quem conduz à nossa frente, ao lado ou atrás respeita as regras como nós, pelo que o melhor é estarmos preparadas para mudanças inesperadas de faixa, travagens bruscas, mudanças de direção sem sinalização e outro tipo de situações que em sejamos, inadvertidamente, envolvidas num acidente.

9 – Cuide do seu carro
A manutenção do seu veículo não é apenas uma forma de prolongar a sua vida, mas sobretudo de garantir que o carro que conduz é seguro para si e para os outros. Por isso visite regularmente a sua oficina, faça revisões periódicas (especialmente antes de viagens longas) e esteja atenta a eventuais barulhos: o carro fala connosco, nós temos é de o ouvir…

10 – Mantenha a calma
Conduzir, especialmente na cidade, é algo que pode testar os limites da nossa paciência. Por mais que os outros condutores nos consigam enervar, é importante manter a calma e uma condução segura. Está provado que uma condução agressiva aumenta o risco de acidentes.

Destaque

Sete essenciais para ter no carro

Saiba qual o kit de que mais precisa ter dentro do seu carro, para estar sempre preparada, para tudo. Porque uma mulher prevenida vale mais do que duas!

Ler Mais

Últimos Artigos

Liliana Campos, uma cara conhecida dos portugueses com muitas histórias para partilhar

Uma conversa sobre escolhas a fazer como mulher com Joana Vaz

Marisa Liz, uma conversa sobre igualdade, perseverança e como esta consegue tornar todos os sonhos possíveis

Artigos Relacionados